Síntese de Evidências para Políticas de Saúde

Implementação da opção 2

Quadro 4 – Considerações sobre a implementação da opção 2

Níveis Opção 2 – Incentivar, em nível comunitário, a prática de atividade física aeróbica sob supervisão profissional
Pacientes/
indivíduos/
tomadores de
decisão
O sexo masculino pode apresentar maior resistência à prática da atividade física regular. Deve-se realizar esforço social (mobilizar todos os segmentos da sociedade) para estimular as práticas de atividades físicas junto da comunidade.

Deve-se divulgar de forma consistente e em todas as oportunidades cabíveis os benefícios da prática de atividade física.

Trabalhadores de
saúde
Deve-se estimular os profissionais de educação física a elaborarem programas de exercício físico aeróbico que se adequem ao público e à estrutura existente.

Deve-se divulgar de forma consistente e em todas as oportunidades cabíveis os benefícios da prática de atividade física.

A avaliação dos resultados obtidos pelas práticas adotadas deve fazer parte das atividades dos profissionais para o melhor planejamento das ações.

Organização de
serviços de saúde
Deve-se ampliar a oferta de espaços na cidade que estimulem as práticas de atividade física aeróbica. Deve-se garantir o acesso universal respeitando as especificidades de cada usuário. Deve-se garantir que a prática de atividade física seja realizada sob supervisão profissional. Deve-se assegurar estrutura mínima e materiais aos locais destinados às práticas da atividade física. Deve-se desenvolver parcerias para a utilização e conservação da estrutura existente.
Sistemas de saúde Falta financiamento específico do SUS para as práticas de atividade física na APS. Os custos podem representar uma barreira para a sustentabilidade da contratação e manutenção de profissionais e estrutura para a realização da atividade física.

O êxito depende mais do comprometimento político e da capacidade organizativa do que a disponibilidade de recursos.