Síntese de Evidências para Políticas de Saúde

Implementação da opção 1

Opção 1 – Produzir sínteses de evidências com linguagem adaptada a diferentes públicos

Paciente / indivíduo / tomadores de decisão

  • Os pacientes/cidadãos devem ter acesso a melhor evidência cientifica para conhecer a efetividade de opções de atenção à saúde e promover a sua participação no processo de decisão sobre o seu tratamento (ENTWISTLE et al., 1998), além de estarem envolvidos no desenvolvimento e discussão de políticas para a saúde. Uma revisão sistemática indicou que uma estratégia para sobrepor as barreiras quanto ao uso de evidência é aumentar a comunicação e diálogo entre pesquisadores e usuários finais (ORTON et al., 2011). Similarmente, a utilização de linguagem clara e direta pode facilitar o entendimento do problema e estimular o uso da evidência por tomadores de decisões (INNVÆR et al., 2002).

Trabalhadores de saúde

  • O uso de evidências científica na prática clínica foi descrito como essencial por estudantes de medicina, entretanto, barreiras práticas e culturais devem ser ultrapassadas (ILIC; FORBES, 2010). Para outros profissionais de saúde, a falta de informações claras impede a recomendação de estratégias específicas de tradução do conhecimento, embora a percepção da sua importância esteja presente (SCOTT et al., 2012).

Organização de serviços de saúde

  • Os serviços devem estar preparados para utilizar o conhecimento organizado em sínteses de evidência, diminuindo a distância entre o conhecimento científico, a gestão e os usuários de serviços de saúde. Faz-se necessário, no entanto, monitorar a efetividade da produção de sínteses com linguagem adaptada.

Sistemas de saúde

  • A produção de sínteses de evidências adaptadas a diferentes públicos poderá aumentar o controle social, contribuindo para aumentar a eficiência do sistema de saúde brasileiro. No entanto, potenciais barreiras devem ser consideradas, tais como as dificuldades na produção de sínteses de evidências, que vão desde a capacitação de novos profissionais à diversidade de interesses/valores pessoais dos profissionais envolvidos na atividade. Uma opção para superar essas barreiras poderia ser a seleção mais minuciosa dos indivíduos que serão capacitados, voltando a seleção para indivíduos com perfil mais adequado para trabalhar com análise, interpretação e produção de textos científicos.