Síntese de Evidências para Políticas de Saúde

Mensagens-chave

O problema

Um dos principais desafios das políticas de saúde é promover o uso sistemático de evidências científicas na sua formulação e implementação. Esse desafio é ainda mais significativo em países como o Brasil, onde os resultados das políticas de saúde são condicionados também por fatores socioeconômicos e os recursos disponíveis são limitados. Nesse cenário, o uso das melhores evidências científicas disponíveis deve ser empregado com o objetivo de melhorar a aplicação de recursos, buscando mais efetividade na promoção, prevenção e atenção à saúde. A pouca utilização das evidências científicas se deve a diferentes fatores, desde dificuldades que tomadores de decisão têm para interpretar, adaptar e aplicar o conhecimento científico ao baixo nível de interação entre política e pesquisa. Melhorar o uso das evidências científicas na formulação e implementação de políticas de saúde inclui processos de tradução e disseminação do conhecimento, considerando sempre os contextos institucionais e sociais relacionados, além de aspectos de equidade.

Opções para enfrentar o problema

Opção 1 – Produzir e disseminar sínteses de evidências com linguagem adaptada a diferentes públicos.

Opção 2 – Usar plataforma virtual online para disseminação do conhecimento científico.

Opção 3 – Utilizar o jornalismo e outras formas de comunicação social para ampliar a disseminação do conhecimento científico.

Opção 4 – Promover a interação entre pesquisadores e tomadores de decisão.

Considerações gerais acerca das opções propostas

Para a implementação das opções de enfrentamento do problema faz-se necessária participação ativa dos diferentes sujeitos envolvidos, em especial, tomadores de decisão e pesquisadores. O monitoramento e avaliação dos resultados advindos da implementação das opções propostas devem usar parâmetros e indicadores adequados para avaliar o uso de evidências científicas na elaboração e implementação de políticas de saúde.