Síntese de Evidências para Políticas de Saúde

Opção 3 – Estimular o uso do jornalismo e outras formas de comunicação para aperfeiçoar a disseminação do conhecimento científico

A divulgação do conhecimento científico realizada pelos meios de comunicação ainda não é um fenômeno comum e abrangente, apesar da reconhecida influência da mídia nas decisões políticas e formação da opinião das pessoas. Como alternativa para estimular a utilização do jornalismo e de outras formas de comunicação no contexto do uso de evidências deve-se implantar canais de comunicação diversificados entre academia e gestão. Dentre ele, pode-se destacar a produção e envio de boletins impressos que resumam evidências científicas apresentadas por revisões sistemáticas. Também se poderia utilizar o jornalismo através de canais de comunicação especialmente voltados para divulgação científica.

Quadro 3 – Achados relevantes para a opção, segundo revisões sistemáticas/avaliações econômicas

Categorias dos achados Síntese dos achados mais relevantes
Benefícios MURTHY et al., 2012, em uma revisão sistemática recente de excelente qualidade, avaliaram o efeito de produtos informativos no uso de evidências científicas por gestores, tomadores de decisão e profissionais da saúde.

Os resultados indicaram efeitos positivos da disseminação da evidência para prática clínica, mas os dados ainda são insuficientes para demonstrar mudanças em gestores e tomadores de decisão.

Uma revisão sistemátca realizada em 44 países de baixa e média renda demonstrou que nesses países, a mídia impressa demonstra pouco interesse pelos três tópicos centrais (i.e. prioridades, evidência de pesquisa e diálogos de polítca) para sistemas de saúde informados por evidências (CHEUNG et al., 2011).

Danos potenciais Não foram reportados danos potenciais relacionados com esta opção, entretanto, imagina-se que o uso do jornalismo e de diferentes formas de comunicação podem gerar dificuldades na interpretação da magnitude do problema abordado.
Custos ou custo/efetividade em relação à situação atual Dois estudos identificados por MURTHY et al., (2012) revelaram que os custos de produção e distribuição do boletim melhoraram a efetividade da prática clínica, além de gerar uma enorme economia nos recursos que seriam utilizados, algo em torno de R$100 a 150 mi. Outro custo potencial está envolvido no treinamento de profissionais de comunicação para a interpretação e tradução do conhecimento gerado por revisões sistemáticas.
Incertezas em relação aos benefícios, danos potenciais riscos, de modo que o monitoramento e avaliação sejam garantidos se a opção for implementada Os benefícios da implementação dessa opção de enfrentamento não estão claramente estabelecidos para os tomadores de decisão, além disso, a revisão sistemática encontrada para esta opção utilizou evidências de baixa e média qualidade (MURTHY et al., 2012). Os potenciais riscos aparentemente são pequenos e devem estar relacionados ao processo de leitura e interpretação do material por parte dos tomadores de decisão. Deve ser levado em consideração o tempo investido para leitura do material, além da possibilidade da leitura levar a uma decisão equivocada devido à interpretação imprecisa do conteúdo do boletim.
Principais elementos da opção (se ela já foi implementada/testada em outro lugar) Os principais elementos desta opção incluem:

1) disseminação de conhecimento científico sintetizado, e;

2) melhoria do acesso à informação.

A maioria dos estudos incluídos na revisão sistemática de Murthy et al. (2012) foram realizados em países desenvolvidos (87,5%), enquanto apenas um foi conduzido em países de baixa e média renda, incluindo México e Tailândia. Apesar de ser considerada uma opção eficiente, é importante considerar as práticas alternativas que já estão sendo utilizadas, como a cobertura da mídia tradicional e acadêmica.

Percepção dos sujeitos sociais (grupos de interesse) envolvidos na opção, quanto à sua efetividade Em pesquisa realizada em Uganda com tomadores de decisão e pesquisadores, cerca de 70% dos entrevistados indicaram a necessidade de melhor disseminação da evidência a partr de mensagens adaptadas através de diferentes canais de disseminação para diferentes públicos (OREM et al., 2012).